Segurança e Limpeza

Como fazer a gestão de segurança em ambientes de grande circulação?

Escrito por Seguridade

Quanto maior for o ambiente e mais pessoas circularem por ele, mais difícil será garantir a segurança dos usuários. As universidades são importantes locais de movimentação e, dessa forma, suscetíveis a muitos riscos. A segurança é, portanto, uma preocupação em instituições de educação públicas e privadas.

Cada ambiente tem suas próprias características, incluindo pontos fortes e vulneráveis. É necessário avaliar todas as questões específicas, a fim de criar um sistema de segurança eficiente. As entradas e saídas, por exemplo, devem ser consideradas cuidadosamente, pois são estratégicas para otimizar a segurança.  

Quer saber como implantar uma eficiente gestão de segurança em ambientes de grande circulação? Continue a leitura!

Trabalhe com tecnologia avançada

Sem tecnologia avançada, fica difícil manter a segurança em qualquer lugar — especialmente naqueles com muita movimentação. Essa tecnologia consiste, principalmente, em câmeras de segurança bem-dispostas, ou seja, instaladas estrategicamente.

Um bom circuito fechado de TV é indispensável para quem deseja manter sob controle todos os movimentos dentro de um ambiente. Por meio de um sistema de CFTV, é possível manter em constante vigilância todos os locais da edificação ou do complexo (caso sejam vários edifícios integrados, como ocorre nas universidades).

As câmeras permitem manter o registro visual de todos os movimentos e contribuem para prevenir situações que afetam a segurança dos usuários. Na verdade, pessoas mal-intencionadas ficam inibidas se souberem que o ambiente é vigiado 24 horas por dia.

É possível manter, inclusive, câmeras escondidas em determinados pontos. Além disso, o controle de acesso, os detectores e os alarmes são recursos tecnológicos que compõem um bom sistema de segurança, inclusive para universidades.

Defina um plano de evacuação

Um plano de evacuação contempla situações hipotéticas e faz projeções sobre possíveis sinistros, como um incêndio ou outras situações de perigo. Dessa forma, a equipe responsável pode conduzir o público com segurança e eficiência em situações emergenciais, que envolvem grandes riscos.

Em ambientes muito grandes, a tendência das pessoas diante de um cenário perigoso é se dispersarem e correrem sem rumo certo, o que pode agravar ainda mais a situação. Cabe a uma equipe bem treinada manter os usuários sob controle e direcioná-los para a melhor saída.

Quando uma situação de pânico se instala, a melhor solução é controlar as emoções e recorrer a um plano predefinido.

Treine continuamente sua equipe

A equipe responsável deve cuidar de todos com total segurança, sendo submetida a treinamentos constantes. É muito importante que os agentes entendam suas funções e seus objetivos durante a jornada de trabalho que realizam.

Somente com o treinamento e a atualização periódica, a gestão de segurança em ambientes de grande circulação pode surtir bons resultados.

O treinamento do pessoal, ao lado de boas ferramentas tecnológicas, é um dos pilares de um sistema que efetivamente garante proteção a uma universidade ou a qualquer outro tipo de estabelecimento.

Identifique e analise os riscos

Para efetuar uma correta gestão de segurança, é necessário identificar e fazer uma análise de riscos e vulnerabilidades aos quais o ambiente está exposto. Trata-se de uma avaliação minuciosa, que deve ser finalizada com um diagnóstico bem elaborado.

É fundamental mapear cada espaço da universidade, como salas de aula, bibliotecas, laboratórios, cantinas, salas administrativas, espaços abertos e assim por diante. É preciso, ainda, considerar as rotinas e os valores da instituição, avaliando todas as possíveis ameaças.

Uma universidade necessita de uma abordagem diferente daquela efetuada em uma escola de ensino fundamental. Da mesma forma, a localização da instituição dentro do espaço urbano conta muito.

Caso ela esteja situada em um bairro periférico, propenso a assaltos, ou em um local próximo a presídios e ambientes que possam oferecer outros perigos, como uma indústria que trabalha com produtos químicos e explosivos, naturalmente será mais vulnerável.

Para uma análise de riscos precisa, é importante considerar os pontos a seguir:

  • ambiente externo — localização da universidade, nível de criminalidade na área, rotas de fuga, vias de acesso e assim por diante;
  • ambiente interno — cultura e filosofia da instituição de ensino, tipo de universidade (privada ou pública), histórico de problemas, horário de funcionamento, perfil dos estudantes e outros itens;
  • estrutura física — prédios, iluminação, escadas, muros/cercas, portas, acesso de veículos, quantidade de entradas por dia etc.;
  • estrutura de segurança eletrônica — câmeras, alarmes, sensores, sistema para controlar o acesso, botão de pânico e sistema de gravação de imagens;
  • recursos humanos de segurança — conhecer a qualificação e o total de profissionais que trabalha na segurança, bem como a escala de trabalho de cada um;
  • normas — as regras de segurança da universidade, tanto as formalizadas quanto as informais.

Contrate seguranças capacitados e devidamente treinados

Na hora de escolher uma empresa terceirizada que oferece serviços de segurança, confira sua idoneidade, se ela tem boa reputação no mercado e como é o treinamento e a atualização que oferece a seus seguranças.

Devido à responsabilidade que envolve a função, os seguranças devem ser capacitados e treinados para efetivar suas responsabilidades dentro da universidade. O perfil psicológico do profissional precisa ser equilibrado, considerando que ele porta armas e necessita saber como fazer bom uso delas.

O segurança deve ser capaz não só de atuar nos momentos de necessidade, mas de agir, antes de tudo, de forma preventiva. Ou seja: é recomendado que ele diminua os riscos que tornam imprescindível uma ação mais enérgica.

Melhore o controle de acesso

Existem técnicas de controle de acesso que podem ser usadas com eficiência em uma instituição universitária. Esse é o caso da biometria ou dos cartões magnéticos.

A biometria digital é uma forma mais rápida e, ao mesmo tempo, eficaz de permitir a entrada somente de pessoas cadastradas no banco de dados do sistema de segurança. Também é possível implantar um sistema de senhas.

Deve-se contar, ainda, com uma portaria devidamente equipada. Isso inclui câmeras de segurança e porteiros treinados — que tenham, inclusive, memória para identificar com facilidade pessoas conhecidas (os usuários frequentes da universidade), diferenciando-as dos estranhos.

E você? O que pensa sobre a gestão de segurança em ambientes de grande circulação? Considera que as sugestões acima são valiosas? Deixe seu comentário sobre o assunto!

Sobre o autor

Seguridade

A Seguridade é uma empresa consolidada no mercado, atendendo toda a região Sul do país e o estado de São Paulo, nos tornamos referência nos segmentos de segurança privada, limpeza e conservação, jardinagem, bombeiros industriais, serviços de rh e outros serviços.

Deixar comentário.

Share This