Gestão de Pessoas e RH

Quando é hora de demitir um funcionário?

Avatar
Escrito por Seguridade

Além da renda necessária para viver, muitos obtêm de seu trabalho satisfação e realização pessoal. Perder o emprego pode ser um evento traumático na vida de uma pessoa, representando a perspectiva de uma pior qualidade de vida, ansiedade quanto ao futuro e baixa autoestima.

Apesar de ser uma situação muito delicada na relação entre empregadores e empregados, demissões fazem parte da gestão empresarial. Antes de tomar essa decisão, muitos fatores devem ser levados em conta. Quando é hora de demitir um funcionário? Leia nosso artigo de hoje e saiba avaliar esse momento.

Falta de sintonia com os valores da empresa

Alinhar seus colaboradores em relação à cultura e aos valores da empresa deve ser uma prática contínua, que pode ser trabalhada por meio de palestras, treinamentos e advertências antes de chegar à decisão final de uma possível demissão.

No entanto, quando uma pessoa apresenta desvios em sua conduta, ela passa a representar um risco para o ambiente de trabalho e para uma adequada representação da empresa.

O que se verifica na prática é que não há como relevar atitudes que indiquem falta de ética e de caráter. Se observadas essas características na atuação de um profissional, elas podem ser motivo de demissão.

Baixa produtividade

A produtividade de um colaborador é um indicativo do valor que ele está gerando para a empresa. Organizar treinamentos e implementar metas podem ser boas medidas para contornar um problema de baixa produtividade.

No entanto, caso seja constatado que o problema persiste em determinada área, é recomendável investigar os responsáveis e avaliar a necessidade de demissão.

Analise se a baixa produtividade apresentada está relacionada somente ao trabalhador em questão. Outros fatores, como possíveis discordâncias com o chefe do setor, podem ser determinantes para um baixo desempenho.

Sabemos que contratar novos funcionários envolve um custo alto, portanto, antes de prosseguir com uma demissão por baixa produtividade, é recomendável verificar a possibilidade de realocar o empregado em outra função.

Pouca motivação

A falta de motivação faz com que o funcionário apresente algum dos seguintes comportamentos: atrasos, faltas, pouco comprometimento com os prazos e adoecimento. Tudo isso se traduz em perda de produtividade.

O nível de motivação de sua equipe pode ser detectado por meio de uma pesquisa de clima organizacional, por exemplo, assunto que já foi tratado em um outro artigo de nosso blog. Pela análise dos resultados, podem ser identificados aqueles que porventura estão descontentes ou desmotivados.

A partir daí, é preciso avaliar se o problema de motivação pode ser resolvido por soluções propostas pela empresa ou se é um caso de demissão. Fique atento: ter muitos colaboradores desmotivados indica uma falha da empresa, que deve ser corrigida com ações motivacionais.

Falta de interesse em qualificação

Outro fator determinante que pode ocasionar a dispensa de empregados é a falta de qualificação e interesse. Quando surgem oportunidades de crescimento ou quando há implantação de novas tecnologias, é importante que os colaboradores se mostrem aptos a aprender, estudar e se desenvolver.

Tendo constatado uma constante falta de interesse e engajamento, é hora de reavaliar a presença do colaborador em sua equipe.

Contenção de custos

Demitir um colaborador representa custos para a empresa, porém, durante uma crise econômica, essa decisão pode ser inevitável. Em tempos de crise, a empresa deve estar pronta para avaliar continuamente os resultados de suas ações e o lucro gerado, verificando a necessidade de modificar seu quadro de colaboradores.

Na hora de demitir um empregado por questões financeiras, o gestor deve identificar o que vai custar mais, se a dispensa dos mais antigos ou dos mais novos. É importante que fique claro para os demitidos que a decisão do corte foi uma estratégia emergencial.

Faça uma entrevista de desligamento. Garanta aos dispensados todo o pagamento devido para evitar problemas judiciais no futuro e, posteriormente, estruture a redistribuição de tarefas.

Formas de demitir um funcionário

Devido aos motivos elencados acima, por muitas vezes, a demissão de um funcionário é inevitável. Apesar disso, existem algumas práticas que são capazes de minimizar o desgaste em momentos complicados como esse. Pensando nisso, preparamos algumas boas práticas para que a equipe de gestão esteja preparada na hora de desvincular um colaborador. Confira!

1. Apresente dados que mostrem o problema

Não existem dúvidas de que o feedback é um processo natural para o desenvolvimento seguro das atividades de uma empresa. Dessa forma, essa metodologia é extremamente eficaz nos momentos em que é necessário demitir um funcionário.

Nesse contexto, a melhor prática é apresentar dados que demonstrem a causa da demissão, como indicadores de desempenho, relatórios de metas, regulamento interno da empresa e quaisquer informações que indiquem a expectativa da instituição face a seus funcionários.

2. Deixe que o gestor responsável informe pessoalmente sobre a decisão

O papel da equipe de RH é muito importante para intermediar funcionários e fazer com que eles sigam na direção correta para uma melhor produtividade no ambiente de trabalho. Mas uma situação de demissão — na qual estamos tratando de uma situação importante tanto para a empresa, quanto para o funcionário — requer uma certa pessoalidade para que tudo corra da forma mais transparente possível.

Assim, é nesse momento em que o gestor responsável pelo setor em que o colaborador trabalha deve agir. Com a ajuda conjunta do setor de RH, o chefe direto deve ser o responsável por informar a decisão da empresa, explicando os motivos e apresentando os dados levantados.

3. Repense a decisão

Mesmo nesses casos, é possível que o funcionário esteja passando por um momento ruim na sua vida pessoal, ou que possa estar encontrando dificuldades em exercer sua função da forma adequada.

Por isso, avalie conjuntamente se a decisão do desligamento do funcionário é a melhor opção ou se, após os feedbacks, ainda não é possível reverter o problema. Repensar decisões é uma tarefa natural das atribuições no dia a dia de um gestor — portanto, essa é uma boa prática para ser utilizada nesse momento.

E você, já passou por uma situação em que teve que tomar a difícil decisão de demitir um funcionário? Comente em nosso post e compartilhe suas experiências e opiniões!

Sobre o autor

Avatar

Seguridade

A Seguridade é uma empresa consolidada no mercado, atendendo toda a região Sul do país e o estado de São Paulo, nos tornamos referência nos segmentos de segurança privada, limpeza e conservação, jardinagem, bombeiros industriais, serviços de rh e outros serviços.

Deixar comentário.

Share This