Segurança e Limpeza

Saiba o que é gestão de resíduos e qual a sua importância

Escrito por Seguridade

Em uma época de sustentabilidade, a empresa que deseja se manter competitiva precisa adotar uma economia ecologicamente correta. Entre as práticas mais comuns adotadas pelas firmas está a de gestão de resíduos.

O gerenciamento de resíduos permite o melhor aproveitamento da matéria-prima e a redução da agressão ao meio ambiente. Veja em que consiste essa prática e qual a sua importância para as empresas!

O que é gestão de resíduos

O gerenciamento de resíduos consiste na adoção de uma série de ações que envolvem as fases de coleta, transporte, transbordo, tratamento, destinação e disposição final ambientalmente apropriadas.

Conforme determina a Lei nº 12.305/2010 (Política Nacional de Resíduos Sólidos), a gestão de resíduos precisa assegurar o reaproveitamento e reciclagem máximos, bem como a redução dos rejeitos — que são os materiais que não apresentam viabilidade técnica e econômica para o processo de reciclagem. Cada gerador se responsabiliza pelos resíduos produzidos, os quais devem ser segregados na fonte.

A necessidade de gerenciar resíduos

Aproximadamente, um quilo de material é descartado diariamente por cada brasileiro. No final de um ano, a produção total de resíduos sólidos urbanos no país alcança aproximadamente 78,6 milhões de toneladas. Cerca de 31,9% de daquele total é reciclável (metais, plástico, vidro e papel), 51,4% é material orgânico e 16,7% correspondem a outros materiais.

Apesar disso, somente 3% são reciclados e, infelizmente, mais de 74 toneladas de resíduos são tratados de forma inapropriada, com destinação em aterros controlados ou lixões. Mais de 3 mil municípios do Brasil usam lugares impróprios para o descarte dos materiais — esse valor corresponde a quase 60% dos municípios brasileiros.

Por causa de falhas estruturais, precariedade tecnológica e falta de gerenciamento adequado há um prejuízo anual de 8 bilhões de reais. É por causa dessa realidade alarmante que a gestão de resíduos se faz tão necessária e é tão importante — afinal de contas, somente com essa administração será possível evitar desperdícios e grandes prejuízos financeiros.

Os responsáveis pelo gerenciamento de resíduos

A gestão de resíduos sólidos é dividida entre o Poder Público, as empresas e a população. Cada gerador deve se responsabilizar pelo que produz, seja em casa ou no empreendimento. É imprescindível que os geradores se esforcem por reduzir a produção de rejeitos, contribuindo para o máximo reaproveitamento e reciclagem, como já dissemos. Cada material, conforme sua natureza, tem uma destinação específica, ambientalmente correta.

A função do gerenciador de resíduos familiares consiste na separação dos rejeitos adequados e na disposição da coleta pública de acordo com as exigências do órgão gestor, transferindo a responsabilidade ao serviço público de manejo dos materiais sólidos.

Algumas empresas, por sua natureza, pelas atividades que efetuam e/ou pela quantidade de resíduos que produzem, são obrigadas por lei a assegurar, por sua própria conta, que todas as fases de gestão aconteçam da melhor forma possível.

Trata-se de uma responsabilidade privada pelo manejo desses resíduos. Entre essas instituições destacam-se as indústrias, as construtoras e demais empresas que atuam nesse setor, os hospitais e outras organizações que trabalham na área de saúde e assim por diante.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos define tanto pessoas físicas como pessoas jurídicas para se responsabiliza pela implementação e operacionalização completa do planejamento na gestão de resíduos sólidos.

As consequências em não realizar o gerenciamento de resíduos

A empresa que não efetiva o gerenciamento apropriado dos resíduos corre o risco de perder muitas oportunidades, além de incorrer em crime ambiental, pois será responsável pela poluição do ecossistema e por diversos danos à saúde humana, animal e vegetal (fauna e flora).

O crime ambiental sujeita o infrator à pena de reclusão de um a cinco anos no caso de haver lançamento de resíduos sólidos, líquidos, gasosos ou detritos, óleos ou substâncias oleosas, que entrem em conflito com as exigências definidas nos regulamentos e nas leis (artigo 57, V, Lei nº 12.305/2010). Além dessa pena de natureza criminal, também podem ser aplicadas penalidades de natureza civil e administrativa.

Assim se expressa o artigo 54, II, Lei nº12.305/2010: “quem manipula, acondiciona, armazena, coleta, transporta, reutiliza, recicla ou dá destinação final a resíduos perigosos de forma diversa da estabelecida em lei ou regulamento” está sujeito a pena de um a quatro anos.

Vale lembrar que é crime lançar resíduos sólidos em praias, mares, corpos hídricos, na natureza a céu aberto, bem como queimá-los a céu aberto.

As vantagens em fazer a correta gestão de resíduos

Há várias vantagens para a empresa que se propõe a fazer a correta administração dos rejeitos que produz. Considerando a análise do ciclo de vida dos produtos e a produção limpa, a gestão de resíduos é uma chance de promover a qualidade da separação e da comercialização dos materiais, reduzindo as possibilidades de danos ao meio ambiente e à saúde pública.

A correta gestão desses resíduos também ajuda a promover a redução de custos e de desperdícios, contribuindo para o aumento dos lucros do negócio e o tão almejado desenvolvimento sustentável.

A elaboração de Programa de Gestão de Resíduos Sólidos (PGRS) identifica falhas e limitações da empresa em seu processo de produção e ajuda a aplicar os princípios da Produção Enxuta — especialmente, no que se refere à eliminação dos desperdícios.

Por meio da coleta seletiva orientada e bem direcionada, da qual participam também os consumidores, é possível conseguir lucratividade em cima da venda dos materiais recicláveis de boa qualidade.

Consequentemente, a empresa gozará de boa reputação no mercado, de uma imagem positiva entre os clientes, os parceiros e a sociedade em geral. Perante o governo, ela também usufruirá de uma imagem favorável, evitando multas elevadas e outras punições, como a prisão. Esse relacionamento com os órgãos fiscalizadores só acontece quando todos os requisitos legais são devidamente cumpridos.

Naturalmente, todos esses benefícios em conjunto favorecem o aumento do potencial competitivo da organização, a qual poderá crescer de forma saudável, livre de processos judiciais, insatisfação dos clientes — que, em sua maioria, julgam mal as empresas que não se ajustam ao desenvolvimento sustentável — e mantendo vantagem sobre os concorrentes que não atuam da mesma forma.

E você, já pratica a gestão de resíduos em sua empresa? Ainda não? Então, entre em contato com a gente, teremos o prazer de apresentar as melhores soluções de gerenciamento para o seu empreendimento. 

Sobre o autor

Seguridade

A Seguridade é uma empresa consolidada no mercado, atendendo toda a região Sul do país e o estado de São Paulo, nos tornamos referência nos segmentos de segurança privada, limpeza e conservação, jardinagem, bombeiros industriais, serviços de rh e outros serviços.

Deixar comentário.

Share This