Terceirização

É possível manter a qualidade dos serviços terceirizados e cultura da empresa?

Escrito por Seguridade

Com as novas possibilidades de terceirização, a contratação desses serviços tem sido, mais do que nunca, uma medida estratégica para o corte de gastos no recrutamento, treinamento e disponibilidade de mão de obra pelas empresas. Todavia, a qualidade dos serviços terceirizados parece ser uma problemática enfrentada ainda nos dias de hoje.

A queda na qualidade dos serviços entregues ao consumidor final e as faltas dos prestadores no trabalho sem reposição a tempo são queixas que muitas vezes acontecem após a contratação de serviços do gênero.

Por esse motivo, neste post, vamos explicar como é possível manter a qualidade dos trabalhos por meio de políticas de ênfase na cultura organizacional da empresa contratante. Continue a leitura!

Qual a relação entre a qualidade dos serviços terceirizados e a cultura organizacional da contratante?

A cultura organizacional é constituída por uma série de comportamentos e políticas aplicadas implícita ou explicitamente nas empresas pelos colaboradores nos processos internos. Por isso, o cuidado com a perpetuação das características que representam o perfil corporativo perante o mercado é decisivo para o alcance e superação dos objetivos finais.

Assim, uma empresa considerada adepta à tomada de riscos, por exemplo, implica que seus colaboradores devem seguir a mesma dinâmica e estarem preparados para a execução de trabalhos menos previsíveis.

Os prestadores de serviços terceirizados também precisam estar em sintonia com essas políticas e comportamentos esperados por todos os participantes dos processos internos das empresas, independentemente do cargo ou função. Isto é, colaboradores e terceirizados integram e dividem o mesmo espaço laborativo, exercendo papéis essenciais para o bom funcionamento empresarial.

Por essa razão, é necessário que políticas e diretrizes pertinentes à própria cultura organizacional sejam aplicadas e enfatizadas de modo igualitário. Além de garantir a padronização de comportamentos e resultados, os prestadores terceirizados sentem-se valorizados e mais motivados em seus trabalhos.

Como identificar a cultura organizacional? 

São muitas as medidas cabíveis de mudança cultural. No entanto, gestores precisam, primeiramente, compreender quais são as características centrais das empresas que já integram o perfil empresarial das contratantes. Nesse sentido, alguns tópicos a serem avaliados são:

  • competitividade esperada pelas equipes no mercado;

  • abertura a riscos;

  • investimento direcionado à inovação;

  • capacidade de adaptação a novos paradigmas econômicos e sociais;

  • grau de participação dos colaboradores e prestadores terceirizados na tomada de decisões;

  • nível de minuciosidade dos trabalhos;

  • produtividade e entrega dos serviços aos consumidores finais.

A partir disso, cientes do perfil exato das empresas, diretores e gestores precisam repensar e elaborar estratégias específicas de sintonização comportamental e laboral dos prestadores de serviços terceirizados com as empresas contratantes. 

Como elevar a qualidade dos serviços terceirizados nas empresas?

Cultura organizacional identificada (e reformulada, se for o caso), é preciso criar meios que facilitem sua uniformização nas empresas contratantes. Para isso, a manutenção de uma comunicação clara, objetiva e eficiente entre gestão e colaboradores é indispensável para que essa adequação ocorra. 

Além disso, a consolidação de uma relação transparente e profissional entre a empresa contratante e contratada é outro aspecto crucial que, muito embora não esteja diretamente relacionada à cultura organizacional, influencia na qualidade desses serviços terceirizados.

Afinal, em caso de eventualidades, como ausência de prestadores ou queda na qualidade dos serviços prestados, contatos ágeis e imediatos solucionam problemáticas do gênero a tempo e sem encargos.

Por último, a valorização dos prestadores também pode fazer a diferença. Ainda que as obrigações trabalhistas e previdenciárias desses trabalhadores sejam de responsabilidade exclusiva das empresas contratadas, é fundamental a aplicação de políticas de trabalho inclusivas e motivacionais.

Inevitavelmente, tais medidas, em conjunto, influem em melhores resultados às empresas, por meio da implantação gradativa de uma cultura organizacional mais amigável e igualitária entre os trabalhadores.

Desse modo, tanto os colaboradores quanto prestadores terceirizados precisam estar sintonizados com os aspectos culturais das empresas contratantes, visto que essa participação facilita o processo de adequação laboral e comportamental.

Ao consolidar políticas uniformes e inclusivas, além de manter uma comunicação objetiva entre contratantes e prestadores terceirizados, os resultados podem ser, gradativamente, alcançados por meio da prestação de serviços terceirizados mais fiéis aos objetivos dos negócios. 

Gostou deste artigo? Então, assine nossa newsletter e mantenha-se atualizado sobre essa e muitas outras temáticas relacionadas à terceirização!

Sobre o autor

Seguridade

A Seguridade é uma empresa consolidada no mercado, atendendo toda a região Sul do país e o estado de São Paulo, nos tornamos referência nos segmentos de segurança privada, limpeza e conservação, jardinagem, bombeiros industriais, serviços de rh e outros serviços.

Deixar comentário.

Share This