Segurança e Limpeza

O que diz a lei de segurança para agências bancárias? Descubra aqui

Escrito por Seguridade

Por causa de sua atividade, as agências bancárias são muito visadas por criminosos. Ao mesmo tempo, elas são repletas de clientes com contas a pagar ou com problemas para resolver. Por isso, a lei de segurança para agências bancárias é bem clara ao estabelecer os pontos principais de proteção.

Toda instituição precisa atender a esses requisitos para obter a regularidade quanto à legislação. Além de tudo, é um jeito de garantir a proteção patrimonial e dos clientes.

A seguir, veja o que diz a lei de segurança para agências bancárias e tire as suas dúvidas!

O que diz a lei sobre o tema?

O principal elemento da legislação que determina como deve acontecer a segurança em agências bancárias é a Lei nº 7.102/1983.

Em seu Art. 2º, há a apresentação de como deve ser composto o sistema. Além de equipamentos eletrônicos, como as câmeras de vigilância, é preciso que haja uma cabine blindada, onde um vigilante armado deve permanecer durante todo o expediente.

Outro elemento determinado pela lei de segurança em agências bancárias é a necessidade de transportar valores maiores em um veículo blindado. Os menores podem seguir em automóveis comuns, desde que na presença de dois vigilantes.

Para tentar conter os problemas de segurança, como assaltos a caixas eletrônicos, há uma proposta de criar uma regulamentação federal: o chamado Estatuto da Segurança Privada e da Segurança das Instituições Financeiras já foi aprovado no Senado e espera-se que ele seja implementado ao longo do tempo.

Quais são as principais obrigações?

Quando se fala na lei de segurança para agências bancárias, há algumas determinações específicas para que tudo seja cumprido. Para não ficar irregular nessa questão, a instituição financeira precisa reconhecer em que deve investir e como tem que fazê-lo.

A seguir, conheça quais são as principais obrigações:

Manutenção do sistema de registro de imagens

Como dito, a instituição bancária é obrigada a manter um sistema de registro de imagens na agência. Portanto, é fundamental escolher equipamentos adequados para montar uma estrutura de CFTV.

Ao mesmo tempo, não é possível determinar quando uma tentativa de assalto acontecerá no local. Tal questão requer que os dispositivos funcionem de maneira ininterrupta, o que exige a manutenção adequada.

É obrigação da empresa garantir que o sistema registre e armazene as imagens do jeito correto, inclusive para possíveis conferências e análises em momentos necessários.

Realização do transporte seguro de valores

Outra questão obrigatória é quanto à criação de uma estrutura segura para fazer a movimentação de grandes quantias de dinheiro. A tarefa fica vulnerável quando não são tomados os cuidados certos e o transporte sempre deve contar com, no mínimo, dois vigilantes devidamente equipados.

Quando a quantia é maior, é obrigatório que o deslocamento seja feito em um veículo especial, como em um blindado. O automóvel pode ser próprio ou de uma empresa especializada, que não precisa ser a mesma dos vigilantes, se não for o caso.

O processo precisa ser feito de maneira planejada e segura, de modo a evitar ataques feitos de surpresa por criminosos.

Contratação de empresa especializada

Para que tudo seja viável, é necessário ter o time certo. Para tanto, é preciso contar com o apoio de uma equipe especializada em segurança privada e proteção patrimonial. Os vigilantes, por exemplo, devem ser devidamente treinados e atender a alguns requisitos, como a idade mínima.

A contratação de um time especializado também é importante para que a instituição bancária não tenha uma preocupação a mais, como a contratação e o treinamento de vigilantes. Com a terceirização, é possível obter um excelente nível de proteção, sem exigir uma dedicação elevada.

Como otimizar a segurança bancária?

Além de atender à lei de segurança para agências bancárias, é importante que a instituição financeira execute alguns procedimentos padrões. Com eles, é possível favorecer a atuação e proteger valores e pessoas. Entre as melhores orientações, estão:

Crie um protocolo de segurança

Para que tudo ocorra de maneira segura, é fundamental saber como agir. Por isso, ter um protocolo de segurança é determinante para o resultado. Esse fluxo de ações impede que ocorram julgamentos subjetivos e que podem levar a uma maior vulnerabilidade.

Defina, por exemplo, como o vigilante deve se portar em cada situação, como a saída de valores acontecerá e quais mudanças de rotina precisam ser feitas para diminuir os riscos de ataques.

Opere a porta giratória corretamente

Uma das questões do protocolo, inclusive, diz respeito ao uso da porta giratória. Como, normalmente, ela é operada pelo vigilante ou por um funcionário, é necessário criar padrões específicos.

É importante que passe apenas uma pessoa de cada vez, pois isso diminui as chances de erros. Além de tudo, se alguém for “reprovado” na hora de passar, é fundamental instruir o cliente, sem demonstrar desconfiança. A execução do protocolo de segurança deve ser a prioridade, sem comprometer o bom atendimento.

Ao agir dessa forma, é possível diminuir os riscos de sofrer com entradas não autorizadas, ao mesmo tempo em que a visão sobre a instituição não é prejudicada.

Sempre verifique o funcionamento dos equipamentos

Diariamente, todos os itens devem ser checados para garantir que tudo está correto. As câmeras, por exemplo, têm que ser avaliadas para identificar se estão em funcionamento como o esperado.

Também é interessante realizar uma manutenção preventiva de um jeito constante. Isso reduz os riscos de falhas e impede que a agência bancária não tenha alarmes e câmeras no momento em que mais precisa.

Escolha uma boa empresa para as tarefas

Acima de tudo, é indispensável escolher um empreendimento especializado e realmente eficiente para realizar a segurança. Os vigilantes, por exemplo, devem ser treinados e capazes de desempenhar a função conforme o previsto.

Também é importante que o empreendimento conte com a estrutura exigida para oferecer o nível de proteção adequado. Verifique o tempo de mercado e a satisfação de outros clientes, tire dúvidas e garanta que a atuação atenda às exigências previstas na legislação.

A lei de segurança para agências bancárias tem que ser conhecida e atendida para evitar ataques de criminosos. Nessa etapa, ter o apoio de uma empresa especializada é indispensável, então não deixe de fazer uma boa escolha. Para saber como conduzir o processo corretamente, veja 5 passos para contratar uma equipe de segurança terceirizada.

Sobre o autor

Seguridade

A Seguridade é uma empresa consolidada no mercado, atendendo toda a região Sul do país e o estado de São Paulo, nos tornamos referência nos segmentos de segurança privada, limpeza e conservação, jardinagem, bombeiros industriais, serviços de rh e outros serviços.

Deixar comentário.

Share This