Sem Categoria

Planejamento financeiro empresarial: o que fazer para reduzir custos?

planejamento-financeiro-empresarial-o-que-fazer-para-reduzir-custos.jpeg
Escrito por Seguridade

Se você anda querendo ter uma atuação mais estratégica dentro da empresa e precisa “fazer mais com menos”, talvez seja a hora de aprender a montar um planejamento financeiro empresarial um pouco mais profissional.

Esse tipo de planejamento contribui para que se mantenham os resultados da empresa e é fundamental para que se consiga diminuir custos no seu dia a dia.

Para entender melhor o que e como fazer, fique de olho nestas sugestões que temos para você!

1. Estabeleça metas de economia

A primeira coisa a se pensar ao começar a escrever um bom planejamento financeiro é que você precisa definir metas.

É como dizem: sem saber aonde você quer chegar, qualquer caminho serve. Como você sabe aonde quer chegar, precisa definir esses objetivos de forma clara e consciente. Assim, fica mais fácil acertar o caminho.

Preste atenção para não simplesmente jogar números em uma folha de papel. Suas metas de economia precisam ser realistas e de acordo com a sua empresa. Uma boa ideia é traçar essas metas separando cada área ou departamento.

Como a parte de eventos é bem diferente da produção, por exemplo, provavelmente não será possível conseguir exatamente a mesma economia nos dois casos.

2. Reavalie gastos fixos

Na operação diária da empresa, muitos são os gastos rotineiros sobre os quais não paramos muito para pensar. Coisas como papel, utilização de copos e outros materiais descartáveis, energia, telefone e internet.

Como essas contas se repetem todo mês, acabam passando um pouco despercebidas aos nossos olhos e assumimos que elas já estão dentro do patamar ideal.

A questão é que muitas vezes estamos enganados. Sempre dá para imprimir menos e trocar mais documentos de forma virtual, utilizar utensílios não descartáveis em algumas ocasiões, colocar sensores de presença para economizar energia, abrir umas janelas para diminuir o uso do ar-condicionado e por aí vai.

Faça uma lista desse tipo de despesas e reavalie cada uma.

3. Renegocie com seus fornecedores

Geralmente, cabe uma “apertada” na negociação com seus fornecedores. Provavelmente, eles não vão gostar muito, mas é melhor ceder um pouco do que perder o cliente.

Ao entrar nesse tipo de assunto, preste muita atenção para não endurecer com os fornecedores errados, aqueles que você não tem como substituir de forma fácil e rápida.

Quanto aos casos em que não é difícil encontrar outras opções, veja o que pode ser feito e explique que está tentando manter a parceria e que prefere não ter que trocá-los por seus concorrentes.

4. Renegocie com seus devedores

Não é uma atitude muito esperta (mas é mais comum do que parece) uma pessoa ou empresa “pagar para brigar”.

Estamos falando daqueles casos em que existe uma dívida e um dos lados, em vez de aceitar um acordo não tão bom assim, prefere gastar tempo, dinheiro e paciência para disputar o caso na Justiça.

Por isso, é importante rever como andam as negociações com seus credores. Talvez seja o caso até de reescrever a política de negociação com eles.

Confira com seu pessoal quais as situações em que vale mais a pena tentar fazer um acordo que, pelo menos, garanta que a sua empresa não tenha que pagar custos de advogados e outras despesas do tipo.

Lembre-se de que, se o valor estiver empatado, já vale a negociação para deixar o seu pessoal liberado do assunto e podendo cuidar de outras coisas mais importantes dentro da empresa. Isso sem falar no risco de a situação se complicar e tomar ainda mais tempo e dinheiro do que o esperado.

5. Avalie terceirizar

Algumas funções que não fazem parte da sua atividade-fim podem ser estrategicamente terceirizadas.

Avalie bem em quais os casos pode lançar mão desse recurso e faça as contas. Veja quanto pode economizar e quais serão as alterações das suas responsabilidades na gestão dos funcionários.

Existem algumas empresas sérias no mercado que poderão te ajudar a fazer essa conta e avaliar melhor a sua necessidade.

Lembre-se de ficar atento se todo o seu pessoal que for terceirizado está com documentos e obrigações em dia e aproveite essa facilidade.

6. Planeje o seu giro de estoque e compra de mercadorias

Para dar mais fôlego ao seu fluxo de caixa, é preciso buscar alternativas que diminuam a imobilização de recursos. Isso significa comprar menos e em intervalos mais curtos.

A melhor forma de conseguir diminuir esse tipo de gasto é olhar bem para o seu nível de estoque tanto de itens utilizados na sua produção como daqueles materiais que você precisa internamente.

Faça as contas do que realmente precisa ter armazenado e quanto tempo dura para programar a próxima compra. Fique atento para não deixar as compras para a última hora, pois, se faltar alguma coisa, pode ser a que sua linha de produção fique parada ou que você acabe pagando mais caro ao ter que solicitar um pedido de emergência.

7. Envolva a sua equipe no planejamento financeiro empresarial

Como é você quem está diretamente ligado ao planejamento financeiro, vai conseguir entender muito bem a necessidade de se economizar e fazer alguns esforços. Por outro lado, algumas pessoas ao seu redor podem não estar com tanta boa vontade assim.

Para que você não acabe sendo “o chato” da situação, a melhor coisa a fazer é trazer para perto os seus pares. Ao pô-las a par da situação, as pessoas tendem a se comprometer mais com os objetivos gerais.

Por mais que você desenvolva e tenha todas as ideias que vão terminar dentro do planejamento financeiro, tente fazer com que seus colegas se sintam parte do projeto. Essa é a melhor forma de eles não boicotarem seus planos e realmente se empenharem em ajudar a diminuir os gastos da empresa.

Vai ver que, tomando esse tipo de cuidado e fazendo uma gestão de pessoas de forma integrada e estratégica, conseguirá atingir seus objetivos com maior facilidade e em um menor tempo. No final das contas, o seu fluxo de caixa vai agradecer.

Agora que você já conhece os melhores caminhos para conseguir desenhar um planejamento financeiro empresarial que realmente funcione para reduzir seus custos, pode começar a colocar em prática todas essas dicas!

Para não te deixar sozinho nessa tarefa, estamos aqui para ajudar. É só entrar em contato conosco!

 

Sobre o autor

Seguridade

A Seguridade é uma empresa consolidada no mercado, atendendo toda a região Sul do país e o estado de São Paulo, nos tornamos referência nos segmentos de segurança privada, limpeza e conservação, jardinagem, bombeiros industriais, serviços de rh e outros serviços.

Deixar comentário.

Share This
Navegação